O boom na construção depende do crédito

A indústria da construção civil vive uma situação de grande dinamismo, sobretudo a partir do segundo semestre de 2007. No corrente ano, esse comportamento se mantém, com tendência crescente.

A expansão do crédito habitacional tem sido apontada como o fator decisivo desse dinamismo. Com a flexibilização das condições de garantia, com a extensão dos prazos e a redução do valor da prestação, a aquisição da casa própria tornou-se viável para grande parcela da população que estava fora do mercado desde a desativação do BNH (famílias com renda na faixa de cinco a 10 salários mínimos).

O dinamismo dessa atividade beneficia não somente as empresas de construção, mas toda a cadeia construtiva, incluindo setores produtores de insumos e equipamentos, e o mercado de trabalho, pois se ampliam as contratações. A demanda por mão-de-obra qualificada vem crescendo consideravelmente, o que provoca necessidade de treinamento. O aquecimento do mercado de trabalho vem ensejando a incorporação de mulheres, o que constitui uma inovação.

Resta saber se, numa perspectiva de elevação dos juros (conseqüência da recente crise financeira internacional), as condições que propiciaram o boom acima referido poderão ser mantidas.

O boom na construção depende do crédito

Compartilhe