Mudança no perfil da produção de máquinas agrícolas no RS

A fabricação de tratores e colheitadeiras em 2009 foi duramente afetada pela crise financeira internacional. O ano iniciou com estoques elevados, queda drástica na produção, demissões e forte recuo nas exportações, situação que foi apenas parcialmente revertida nos meses subsequentes, pelo dinamismo do mercado interno centrado nas vendas de tratores de pequeno porte.

Dois fatores sustentaram a retomada das vendas nesse segmento: (a) a criação de programas governamentais (Brasil e alguns estados), facilitando a aquisição de tratores de baixa potência (até 75cv) para produtores no âmbito da agricultura familiar; e (b) o lançamento da linha de crédito Finame Agrí-cola-Programa de Sustentação do Investimento (PSI), com juros reduzidos, zero de entrada, dois anos de carência e prazo de financiamento de até 10 anos, que estimulou o acesso à tecnologia dos pequenos agricultores de menor poder aquisitivo, excluídos da agricultura familiar.

Os efeitos dessa mudança no perfil da venda de tratores fizeram-se presentes na estrutura de produção de máquinas agrícolas no Rio Grande do Sul, e o ano de 2009 pautou-se por crescimento e ganho de participação significativo do segmento produtor de tratores pequenos em detrimento, principalmente, dos de porte médio.
As perspectivas para 2010 são de uma reversão dessa tendência. É esperada uma recuperação da produção e vendas de máquinas agrícolas de maior porte, captando os investimentos dos grandes produtores de soja e de cana-de-açúcar, que adiaram suas compras por conta da crise financeira mundial. Essa retomada deverá, também, reverter a diminuição da potência média da frota de tratores decorrente do forte acréscimo de unidades de pequeno porte.

Mudança no perfil da produção de máquinas agrícolas no RS

Compartilhe