Evolução do emprego em Porto Alegre — 2000-14

A taxa de desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) teve tendência declinante no período 2000-14, e a cidade de Porto Alegre destacou-se ao apresentar menor taxa de desemprego em relação aos demais municípios da RMPA. A taxa de desemprego, em 2014, era de 4,9% em Porto Alegre e de 6,5% nos demais municípios da RMPA.

Além do menor desemprego, Porto Alegre também possuía a menor proporção de trabalhadores sem carteira assinada no setor privado, e esse indicador foi reduzido quase pela metade no período de 2000 a 2014. Os assalariados sem registro formal decresceram de 48 mil para 32 mil (queda de 33,3%) nesse período.

Destaca-se que o setor privado teve forte expansão durante o período analisado, com a geração de postos de trabalho com registro formal, que apresentam maior proteção social. Nesse período, Porto Alegre teve aumento de 98 mil postos com carteira assinada (47,6%) e passou de 206 mil para 304 mil. Do total do emprego assalariado (454 mil) em 2014, 74% correspondiam ao setor privado (336 mil). Dentro desse segmento, 90,5% possuíam registro formal e apenas 9,5% não tinham carteira assinada. A participação do setor privado na ocupação foi maior nos demais municípios da RMPA, enquanto Porto Alegre possuía uma concentração maior de trabalhadores no setor público, a qual correspondia a 18% em 2014.

Isso pode estar contribuindo para que o salário médio real em Porto Alegre (R$ 2.307,00) tenha sido 42,8% superior ao dos assalariados nos demais municípios da RMPA (R$ 1.615,00) em 2014. Além disso, 31,1% dos ocupados de Porto Alegre tinham escolaridade de nível superior, em contraste com apenas 9,8% nos demais municípios da RMPA.

Em síntese, a cidade de Porto Alegre obteve crescimento do emprego com maior proteção social (emprego formal) no período de 2000 a 2014, além de apresentar a menor taxa de desemprego e o maior salário médio real ao longo desse período.

drop-4-Participação do emprego na ocupação, por categorias de emprego,

Compartilhe