Desempenho da indústria de transformação do RS no 1º semestre de 2012

De acordo com os dados provenientes da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) do IBGE, percebe-se que a produção física da indústria de transformação gaúcha decresceu 2,1% no acumulado de janeiro a junho de 2012, comparado ao mesmo período do ano anterior. A queda foi ainda maior para o Brasil (-4,1%).

Os principais ramos industriais responsáveis por esse decréscimo na produção física do RS foram metalurgia básica (-22,1%), fumo (-17,0%) e veículos automotores (-14,4%). Contudo alguns setores contribuíram para que a queda não fosse ainda mais significativa, casos de máquinas e equipamentos (22,5%), mobiliário (11,0%) e refino de petróleo e álcool (10,5%).

A fraca performance do setor metalúrgico é explicada pela redução na produção de insumos e matérias-primas, que são utilizados por outros setores produtivos. A demanda por bens desse setor encontra-se contraída no cenário econômico atual. Já para a indústria fumageira, o resultado decorreu da colheita ruim de fumo no RS, o qual é o principal produtor nacional. No ramo de veículos automotores, a queda deve-se, em alto grau, à forte redução na demanda por esses bens

A produção da atividade máquinas e equipamentos cresceu significativamente, uma vez que houve um incremento sensível na produção de alguns bens, especialmente colheitadeiras e equipamentos de ar-condicionado. Já o ramo mobiliário obteve alta considerável, ocorrida principalmente devido à redução do IPI para o setor.

O elevado crescimento na produção da atividade de refino de petróleo e álcool pode ser explicado através do aumento na demanda interna, influenciado, fortemente, pela pequena variação no preço médio ao consumidor dos combustíveis no período. Além disso, outro fator a se considerar é a queda no custo médio do barril do petróleo no semestre.

Desempenho da indústria de transformação do RS no 1º semestre de 2012

Compartilhe