Causas de morte no Rio Grande do Sul, segundo faixa etária e sexo, em 2008

As principais causas de morte no Rio Grande do Sul, conforme dados do Datasus para 2008, distribuem-se desigualmente nos grupos etários. Entre os menores de um ano, as principais causas (58,4% dos casos) são afecções do período perinatal. Nas faixas de um a quatro anos até 20 a 49 anos, as principais são causas externas de morbidade e mortalidade. O peso dessas causas é maior nas faixas de 10 a 14 anos e de 15 a 19 anos, quando enquadram, respectivamente, 46,7% e 72,4% dos óbitos. Na faixa de 50 a 64 anos, as principais causas são as neoplasias (tumores), responsáveis por 30,4% dos óbitos. Na faixa dos 65 anos e mais, as principais causas são as doenças do aparelho circulatório, responsáveis por 38,3% das mortes.

As causas de óbito atingem desigualmente os sexos. A partir da faixa de um a quatro anos, a participação masculina no principal grupo de causas, as externas, tende a aumentar, sendo de 65,7% na faixa de um a quatro anos, de 60,3% na de cinco a nove anos, de 73,2% na de 10 a 14 anos e de 87,8% nas faixas de 15 a 19 anos e de 20 a 49 anos. Na faixa de 50 a 64 anos, a participação masculina na composição do principal grupo de causas continua superior à feminina (58,9% das mortes por neoplasia). Somente na última faixa etária, a participação feminina na composição das principais causas de morte, as doenças do aparelho circulatório, é maior (55,1% dos casos).

Causas de morte no Rio Grande do Sul, segundo faixa etária e sexo, em 2008

Compartilhe