As mudanças na pauta exportadora do RS

Recentemente, a FEE divulgou um estudo sobre as mudanças na pauta exportadora gaúcha (Textos Para Discussão FEE, n.072), onde os produtos foram agrupados de acordo com seu principal fator de competitividade. Eles foram classificados em quatro categorias: intensivos em recursos naturais, em trabalho, em escala e em tecnologia diferenciada ou baseados na ciência. Conforme pode ser observado na tabela, entre o primeiro (1989 a 1993) e o último período da análise (2004 a 2008), é expressiva a perda da participação relativa dos produtos intensivos em trabalho – no caso, basicamente calçados de couro natural.

Por outro lado, todas as demais categorias tiveram sua participação aumentada. Dos principais produtos intensivos em recursos naturais, o fumo praticamente manteve intacto seu peso relativo no conjunto das exportações do Estado, e o complexo soja como um todo teve uma redução, mas cresceu a participação do grão de soja nas vendas ao exterior. Foram as exportações de carnes – a suína e, principalmente, a de frango – os grandes destaques desse grupo ao longo dos anos analisados. Já os produtos intensivos em escala foram os que, proporcionalmente, mais cresceram em termos de participa- ção relativa, ainda que suas vendas externas tenham apresentado uma tendência à concentração em produtos petroquímicos e em produtos da indústria metal-mecânica voltada à agricultura e/ou ao setor automotivo. No caso dos produtos intensivos em tecnologia diferenciada, destacaram-se as exportações dirigidas ao setor agrícola, como máquinas para colheita ou debulha e máquinas para preparo do solo.

As mudanças na pauta exportadora do RS

Compartilhe