As exportações gaúchas para o Mercosul: 1996-06

Ao longo da última década, os ciclos econômicos dos países-membros signatários do Tratado de Assunção, que criou o Mercosul em 1991 (Argentina, Brasil, Paraguai e Uruguai), afetaram profundamente as relações econômicas e políticas do bloco. Isso se refletiu no comércio bilateral de cada país com o Brasil e, por conseguinte, no comércio exterior do Rio Grande do Sul com esses parceiros comerciais.

O gráfico evidencia a evolução das exportações brasileiras e gaúchas para o Mercosul no período 1996-06 e, portanto, exclui a Venezuela, que aderiu ao bloco na metade deste último ano. Chama atenção a queda acentuada do comércio intrabloco no ano de 2002, quando foi atingido o ápice das crises econômicas argentina e uruguaia, resultando em uma contração das vendas externas destinadas ao Mercosul de -48,0% para o Brasil e de -51,6% para o RS.

No período 1996-06, a variação em valor das exportações brasileiras e gaúchas alcançou 91,0% e 84,3% respectivamente, e as taxas de crescimento dos três últimos anos continuaram apresentando-se mais elevadas para o Brasil (57,1%, 31,6% e 19,0%) do que para o Rio Grande do Sul (45,3%, 21,3% e 13,2%). Entretanto, considerando a participação nas exportações para o Mercosul, tem-se maior importância do RS (14%) em relação ao BR (10,4%).

Contudo, levando-se em conta o valor em dólares, apesar das freqüentes oscilações do comércio regional e dos inúmeros contenciosos registrados entre os países-membros, tanto as exportações Brasil-Mercosul como as do RS-Mercosul apresentaram, em 2006, cifras nunca antes alcançadas no período examinado: US$ 14,0 bilhões e US$ 1,7 bilhão respectivamente.

As exportações gaúchas para o Mercosul 1996-06

Compartilhe