As exportações gaúchas em 2010

As exportações gaúchas de mercadorias alcançaram US$ 15,4 bilhões em 2010, representando um crescimento de apenas 1,0% sobre o valor atingido em 2009. Essa performance ficou muito aquém não só do aumento verificado nas exportações brasileiras como um todo, que chegaram a US$ 201,9 bilhões em 2010, com crescimento de 32%, como também da estimativa para a evolução do comércio mundial de mercadorias, de 19%, devendo o mesmo atingir US$ 14,7 trilhões em valores correntes (FMI).

Com esse resultado, o Rio Grande do Sul ficou em quarto lugar no ranking nacional, atrás de São Paulo (US$ 52,3 bilhões), Minas Gerais (US$ 31,2 bilhões) e Rio de Janeiro (US$ 20,0 bilhões), com crescimento de, respectivamente, 23%, 60% e 48%. Esses estados foram beneficiados pelo aumento expressivo dos preços do açúcar (São Paulo), do minério de ferro (Minas Gerais) e do petróleo (Rio de Janeiro). Registre-se ainda que, no ano de 2009, as exportações do Estado foram “infladas” pelo registro de vendas de energia elétrica para a Argentina, no valor de US$ 1,1 bilhão, que, na verdade, referiam- se a valores de 2007 a 2009. Com isso, a base de comparação com as exportações atuais ficou sobreavaliada. Caso essa mercadoria (que, até 2006, era contabilizada na balança de serviços) fosse desconsiderada do cálculo, o crescimento das exportações gaúchas, entre 2009 e 2010, seria de 8%, ainda assim bastante distante da média brasileira.

Dentre os principais produtos da pauta exportadora gaúcha, os do complexo soja (grão, farelo e óleo) apresentaram um crescimento de 3%, com a redução nas vendas externas do grão (-8%) sendo compensada pelas vendas do farelo (23%) e do óleo (33%). Já as exportações de fumo, devido à frustração da safra, registraram uma queda de 14%. Dentre as exportações de carnes, destacaram-se, como soe acontecer, as vendas da carne de frango, com crescimento de 17%, e de carne suína, com aumento de 14%.

A comercialização de calçados de couro manteve sua trajetória dos últimos anos: queda no valor (-9%), fruto de uma redução no número de pares exportados (-19%), não compensada pelo aumento do preço médio do produto (14%). Por outro lado, enquanto as vendas dos produtos petroquímicos — no caso do RS, hidrocarbonetos e polímeros — foram alavancadas pelo aumento de seus preços no mercado internacional, as exportações da indústria metal-mecânica, com destaque para máquinas agrícolas e autopeças, tiveram seu crescimento puxado, basicamente, pela quantidade comercializada no exterior.

A União Europeia foi o principal mercado comprador de produtos gaúchos, principalmente tabaco, farelo de soja e calçados de couro natural. A China, segundo maior comprador, adquiriu, dentre outros, grão e óleo de soja, além de tabaco. Já a Argentina, terceiro maior parceiro comercial do Estado, comprou basicamente produtos petroquímicos e da indústria metal-mecânica.

As exportações gaúchas em 2010

Compartilhe