Textos de: José Enoir Loss

Cop 16 — adiando soluções

Por:

Edição: Ano 20 nº 01 - 2011

Área temática:

Assunto(s):

A 16ª Conferência das Partes da Convenção Sobre Mudanças Climáticas da ONU (Cop 16, na sigla em inglês) apresentou avanços em relação à Cop 15, ao instituir um fundo verde no valor de US$ 100 bilhões por ano para países pobres e reforçar mecanismos de redução de desmatamento e degradação ambiental, avanços modestos no sentido […]

Copenhague: a esperança perdida!

Por:

Edição: Ano 19 nº 01 - 2010

Área temática:

Assunto(s):

Com os resultados pífios do acordo de Copenhague, o comprometimento dos governos em reduzir as causas das mudanças climáticas foi lançado para o futuro. Frustrou-se, assim, a esperança de que, com a urgência necessária, se faria todo o esforço possível para reduzir os efeitos perversos do aquecimento global. Diante da aceleração que se tem observado […]

As perigosas alterações climáticas

Por:

Edição: Ano 18 nº 01 - 2009

Área temática:

Assunto(s):

O último relatório de 2008 da Agência Internacional de Energia alerta-nos: a “[…] redução de emissões de gases de efeito estufa, necessária para evitar as mudanças climáticas perigosas, pode não ser tecnicamente viável.” Isso significa que o limite da concentração de CO2 e (gás carbônico equivalente) na atmosfera em 450ppm (partes por milhão), aconselhável para […]

Energia e aquecimento global

Por:

Edição: Ano 16 nº 10 - 2007

Área temática:

Assunto(s): , , , ,

O enfrentamento das causas do aquecimento global impõe um impasse para a humanidade. Por um lado, é necessário reduzir drasticamente a geração de gases de efeito estufa, e, por outro, o crescimento populacional e o desejável avanço no bem-estar dos países periféricos apontam um considerável crescimento daquelas emissões geradoras de alterações climáticas. Essas mudanças terão […]

Gás carbônico (CO2) no consumo de energéticos não renováveis, no RS

Por:

Edição: Ano 15 nº 02 - 2006

Área temática:

Assunto(s): , ,

Em 2000, o Rio Grande do Sul gerou 22,3 milhões de toneladas de CO2, oriundas do consumo de energéticos não renováveis (derivados do petróleo, gás natural e carvão mineral). Isso representou 8,6% das emissões desse gás no Brasil, uma participação superior à do PIB do RS no PIB nacional que foi de 7,70%. Estudo prospectivo (cenários tendenciais elaborados pelo grupo […]

Energia — uma questão de planejamento estratégico

Por:

Edição: Ano 14 nº 04 - 2005

Área temática:

Assunto(s): , ,

O horizonte de inflexão da relação reserva/produção de petróleo no mundo (Pico de Hubbert) deverá ocorrer num período entre cinco e 15 anos, quando os preços deverão chegar, para alguns, a mais de US$100,00/barril, devido, principalmente, ao consumo dos países desenvolvidos. Persistindo o crescimento da China, da Índia e de alguns países em vias de desenvolvimento, a tendência torna-se mais […]