Universalização da telefonia no RS

A política de telecomunicações tem sido, nos últimos anos, uma das políticas públicas mais bem-sucedidas. Resultados dessa política no RS são a universalização do acesso e a adesão maciça aos serviços de telefonia. Em 2005, para cada 100 habitantes, foram disponibilizados para uso 91 telefones, sendo a densidade celular 64, e a de telefones fixos, 27. A grande adesão dos gaúchos só não supera a do DF e a do RJ, por terem áreas geográficas e urbanas mais densas. Em 2004, dentre os gaúchos com renda mensal de até 10 salários mínimos (SMs), 36,6% tinham somente telefone celular; 12,6%, somente fixo; e 34,0%, fixo e celular. Os moradores urbanos apresentavam alto percentual de adesão: por exemplo, daqueles com renda mensal de até três SMs, cerca de 70,8% possuíam telefone. Curiosamente, os moradores rurais também apresentavam alta adesão, numa relação de 68,6%.

Além do fator renda, que explica a universalização da telefonia, cabe destacar a preferência pela telefonia celular puxada pelos planos pré-pagos, que representam mais de 80% dos telefones. Outro fator é a capilaridade da rede de telefonia fixa, atendendo a todas as localidades do RS, e a cobertura da rede celular, que dá sinal para 95,5% da população.

Universalização da telefonia no RS

Compartilhe