Trigo no RS: recuo na produção e dificuldades na comercialização

O Brasil, na safra em curso, cultivou 2.446,8 mil hectares de trigo, e o Rio Grande do Sul, que participa com 36% na área brasileira, teve uma produção estimada pela Conab em 1.764,6 mil toneladas, com um recuo de, aproximadamente, 14% em relação à safra anterior.

Num cenário de condições meteorológicas desfavoráveis, o Estado, até meados de novembro, colheu 67% da atual safra de trigo, face aos 81% do que, em média, é colhido em igual período.

O clima adverso gerou atraso no plantio (falta de umidade) e na colheita (excesso de precipitações), trazendo incerteza sobre a qualidade do grão e o aumento de custos, com a maior necessidade de aplicação de fungicidas. Além desses problemas, os produtores enfrentam dificuldades na comercialização.

Os triticultores esperavam as medidas anunciadas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento em outubro, visando à elevação das cotações do preço do grão, que está abaixo do preço mínimo. O Governo, entretanto, acenou, em reunião da Câmara Setorial de Culturas de Inverno, em 11.11.09, em Brasília, apenas com leilões de Prêmio para Escoamento de Produto (PEP) – que se constitui em uma subvenção econômica governamental a ser arrematada através de leilão público para aquisição de produtos pelo valor de referência garantido pelo Governo Federal -, priorizando esse mecanismo para apoiar a safra de trigo no momento, o que frustrou os produtores, que contavam com maior e mais abrangente apoio governamental.

Trigo no RS recuo na produção e dificuldades na comercialização

Compartilhe