Soja garante à produção agrícola gaúcha crescimento maior que o nacional

O crescimento da produção agrícola brasileira nos últimos anos tem sido surpreendente e, em 2003, superou qualquer expectativa, por mais otimista que fosse. No início dos anos 90, nem se cogitava uma produção de grãos de mais de 120 milhões de toneladas, uma vez que o total produzido se situava em menos de 60 milhões. Nessa época, mesmo uma colheita de 80 milhões de toneladas era considerada supersafra, e foi somente em 1999 que o Brasil atingiu esse volume de produção. A partir daí, passou-se a falar de 100 milhões de toneladas, mas, apesar do crescimento ocorrido nas safras seguintes, esse patamar acabou não se configurando. Em 2002, todas as estimativas indicavam que a safra ultrapassaria a barreira das 100 milhões de toneladas de grãos; no entanto, problemas climáticos em algumas regiões do País e uma forte redução da área plantada com milho frustraram essas expectativas.

Para 2003, inicialmente as previsões apontavam uma safra de 110 milhões de toneladas, volume este bem maior do que o obtido em 2002. Mas, à medida que a safra se desenvolvia, a cada nova estimativa havia um acréscimo substancial na produção esperada. Assim, os últimos números estabelecem para 2003 uma produção de 122 milhões de toneladas. Esse acréscimo derivou-se, principalmente, da performance da cultura de soja, que atingiu um volume de 52 milhões de toneladas, um aumento de 23% em relação ao volume produzido na safra anterior.

O Rio Grande do Sul parece ter sido mais lento na resposta de sua produção aos estímulos que originaram os aumentos descritos anteriormente para o País. Em 2000, a produção gaúcha de grãos encontrava-se, em termos de volume, no mesmo patamar de 1990 — 14,7 milhões de toneladas de grãos. É bem verdade que, em 1992 e 1993, o Estado produziu mais de 16 milhões e, em 1995, chegou a atingir 17,3 milhões de toneladas.

Foi somente em 2001 que o Rio Grande do Sul voltou a acompanhar o desempenho nacional, apresentando um incremento importante na sua produção de grãos e atingindo 19,6 milhões de toneladas. A retração da produção de milho no Estado, em 2002, em virtude dos baixos preços de venda desse grão no ano anterior, decorrente da supersafra do produto, e a frustração da safra de soja por problemas climáticos fizeram com que a produção gaúcha ficasse quase 20% abaixo da obtida em 2001. Em 2003, houve uma recuperação da produção de milho no Estado e, acompanhando o movimento observado em vários estados produtores de soja, uma explosão dessa cultura também no Rio Grande, o que colocou a produção gaúcha de grãos no patamar de 22 milhões de toneladas. Da mesma forma que no Brasil, no Rio Grande do Sul o maior crescimento ficou por conta da lavoura de soja. No entanto, o aumento nessa produção, no Estado, superou, em larga medida, a taxa de crescimento nacional — o acréscimo registrado no Estado, em 2003 em relação a 2002, foi de 70%.

Soja garante à produção agrícola gaúcha crescimento maior que o nacional

Compartilhe