Quimificação da agricultura: o uso de fertilizantes e agrotóxicos no Brasil e no RS

Como parte da construção de indicadores de desenvolvimento sustentável no Brasil, com informações relacionadas ao uso dos recursos naturais e à degradação ambiental, encontram-se os indicadores de uso de fertilizantes e de agrotóxicos na agricultura brasileira. Sua inclusão justifica-se pela dimensão do potencial poluidor e dos riscos à saúde humana associados aos produtos químicos utilizados na atividade agrícola.

Entre as unidades da Federação, percebe-se uma grande variação: os fertilizantes são mais amplamente usados no Distrito Federal (273,91 kg/ha), em Roraima (230,13 kg/ha) e em Minas Gerais (220,55 kg/ha), e, por sua vez, os agrotóxicos têm maior uso proporcional em São Paulo (8,05 kg/ha), no Distrito Federal (6,13 kg/ha) e em Goiás (4,22 kg/ha). O Rio Grande do Sul, com 142,89 kg/ha de uso de fertilizantes e 2,62 kg/ha de agrotóxicos, encontra-se um pouco abaixo da média brasileira, que é de 143,62 kg/ha para o primeiro e de 3,13 kg/ha para o segundo.

Face ao impacto ambiental e aos riscos ao bem-estar da população acarretados pela quimificação da agricultura, coloca- se como desafio aos planejadores e aos pesquisadores a redução do uso desses insumos ou, ao menos, dos seus níveis de toxicidade.

Quimificação da agricultura o uso de fertilizantes e agrotóxicos

Compartilhe