Produção e vendas de máquinas agrícolas em 2014: um ano de ajuste

Depois de 2013, ano de resultados excepcionais, quando o número de máquinas agrícolas — tratores, cultivadores e colheitadeiras — negociadas no Brasil atingiu seu recorde histórico, essa indústria vem apresentando dificuldades em manter o mesmo ritmo de crescimento. Isso porque, em 2014, não se reproduzem os elementos que caracterizaram o quadro favorável para o desempenho desse setor em 2013, quais sejam: preços das commodities majorados no mercado internacional, juros mais baixos do Programa de Sustentabilidade do Investimento (PSI) no último quadrimestre do ano (2,5% a.a.) e ampliada capitalização do produtor com lucratividade em alta.

É importante salientar-se, contudo, que as taxas negativas dos primeiros oito meses de 2014 em relação a igual período do ano anterior não chegam a preocupar. Se comparado com igual período de 2011 e 2012, o número de unidades vendidas e produzidas mostrou inclusive crescimento, refletindo, na realidade, um retorno à normalidade. Apenas as exportações mantiveram uma trajetória declinante, em grande parte decorrente das dificuldades vivenciadas pela Argentina, que vem impondo restrições crescentes à importação de máquinas agrícolas brasileiras, atingindo especialmente o RS, onde se localiza o maior parque industrial produtor desses bens (43,7% da produção do País). Acrescente-se a isso o encolhimento desse mercado para o produto nacional, em razão da instalação e/ou expansão de plantas de empresas como a AGCO, a John Deere e a New Holland em solo argentino.

As perspectivas para o restante do ano e também para 2015 são de relativa manutenção do quadro atual. No âmbito internacional, destaca-se a desaceleração dos preços das commodities,influenciada pela estimada supersafra mundial de soja. Internamente, têm-se juros mais elevados (4,5% a.a.) do PSI. Por outro lado, contudo, a ampliação do crédito, anunciada para 2015, inclusive com a reativação do Moderfrota, deverá contribuir para a realização de novos investimentos e lançamento de novos produtos.

Produção e vendas de máquinas

Compartilhe