Preços do arroz e do feijão ao produtor e ao consumidor

Os preços da saca de arroz e de feijão ao produtor no RS, em mar./11 — R$ 21,43 e R$ 71,45 respectivamente —, estavam abaixo dos preços mínimos garantidos pelo Governo Federal (R$ 25,80 e R$ 80,00). Sendo época de safra, pode ser que os mesmos caiam ainda mais. Visando obter um indicativo dos preços para o horizonte próximo, busca-se analisar a evolução dos preços desses dois grãos ao produtor e no varejo entre março de 2010 e março de 2011.

O feijão apresentou um comportamento bastante volátil, tendo-se elevado em 13,10% ao varejo no período, reflexo de um produto produzido em pequena escala, sujeito a variações climáticas e deficiências de armazenagem. Por outro lado, o preço do arroz teve uma retração de quase 10%. A margem relativa de comercialização — diferença entre o preço no varejo e o ao produtor dividida pelo preço no varejo — indica que, em ambos os casos, os preços apresentaram um comportamento semelhante, ou seja, os preços ao consumidor e ao produtor tiveram variações similares.

A elevação de preços do feijão foi superior ao IPCA de Porto Alegre (5,09%), ao passo que o arroz, em queda, ajudou a conter o aumento dos preços da cesta básica na Capital gaúcha. Ademais, por se tratar de época de safra, recorde no caso do arroz, pelo patamar de taxa de câmbio favorável à importação e pelo padrão sazonal de movimentação dos preços, parece lícito supor-se que, ao menos no curto prazo, esse alimento não apresente grandes elevações ao consumidor. No caso do feijão, apesar das oscilações maiores, essa tendência deve também ocorrer.

Preços do arroz e do feijão ao produtor e ao consumidor

Compartilhe