Preços da gasolina versus preços do petróleo

O crescimento importante dos preços nominais do petróleo a partir, aproximadamente, de 1999 e adquirindo características explosivas a partir de 2007 foi interrompido bruscamente em jul./08, quando as cotações despencaram para patamares muito inferiores e aí permaneceram, em uma trajetória de queda ao longo dos meses subseqüentes. As estimativas são de fechar o ano de 2009 com o barril cotado em cerca de US$ 42, menos da metade da registrada em 2008, US$ 100, quadro que não se alteraria substancialmente em 2010, quando se espera que o preço do barril atinja US$ 53, em média, no ano (estimativas para os EUA da Energy Information Administration, US Department of Energy).

O comportamento dos preços da commodity tem suas raízes na desaceleração da economia global justamente na segunda metade de 2008, que, ao reduzir a atividade econômica, deprimiu a demanda por energia.

Em princípio, os preços da gasolina nos mercados domésticos deveriam acompanhar os internacionais, tendência que vem ocorrendo efetivamente no mercado norte-americano. No Brasil, isso não aconteceu, pelo menos até o momento, permanecendo os preços praticamente nos patamares registrados antes da queda das cotações mundiais. E isso, apesar de os preços de suas importações e exportações de petróleo terem caído, acompanhando a tendência global.

A subida da cotação do dólar em reais (ao redor de 50% em jul.-dez./08) poderia explicar, em parte, esse comportamento; por outro lado, ele poderia estar associado, por hipótese, a estratégias empresariais (capitalização da Petrobrás).

Preços da gasolina versus preços do petróleo

Compartilhe