Preços compensam a queda de produtividade das lavouras gaúchas

O desempenho da safra gaúcha de verão 2001/2002 foi bastante negativo, se comparado ao do ano passado. Na produção dos quatro principais grãos, o Rio Grande do Sul apresentou uma redução no volume produzido de 19,14%. Essa redução foi conseqüência de quebras de produtividade nas lavouras, em razão de problemas climáticos ocorridos no Estado.

Preços compensam a queda de produtividade das lavouras gaúchas

A redução da produção teria conseqüências negativas na receita dos produtores gaúchos em 2002, se não fosse pela recuperação dos preços. O preço médio de um saco de arroz, que era de R$ 13,01 em maio de 2001, alcançou R$ 15,84 em maio deste ano. O feijão, que foi vendido por R$ 41,61/sc. em maio do ano passado, foi comercializado por R$ 58,80/sc. em maio deste ano. A redução já esperada na produção de milho no Brasil sinalizava aumento dos preços em 2002, e a quebra na produção gaúcha acentuou o problema, colocando a oferta desse grão bem abaixo das necessidades do mercado, o que fez com que os preços de comercialização atingissem valores 70% superiores aos de 2001. A soja também está sendo comercializada por um valor bastante superior ao obtido pelos produtores nos anos anteriores. Apesar do aumento da produção brasileira de soja, a elevação da cotação do dólar, aliada às previsões de redução da produção americana, fez com que o seu preço atingisse R$ 22,35 em maio deste ano. Dessa forma, se considerarmos os preços praticados em maio de 2002 relativamente aos preços de igual período de 2001, verifica-se que a receita obtida pelos produtores com a venda da produção de 2002 é 11,55% superior à obtida com a venda em 2001.

Compartilhe