Potencial competitivo do Rio Grande do Sul

O Índice de Competitividade Estadual-Fatores (ICE-F), elaborado pela FEE em parceria com o Movimento Brasil Competitivo e com o apoio da SCP-RS, busca sintetizar um conjunto de 38 variáveis relevantes para a competitividade estadual no tocante às condições dos fatores produtivos. O ICE-F possui três grupos temáticos, englobando: qualificação da força de trabalho, conhecimento e inovação e infra- -estrutura (transporte, comunicação, saúde e energia). O Rio Grande do Sul ocupa a quarta posição no ranking geral do ICE-F entre as UFs e a terceira entre os estados, ficando atrás de São Paulo e Rio de Janeiro e à frente de Paraná, Santa Catarina e Minas Gerais. Observando a posição relativa por grupo do Índice, o Rio Grande do Sul apresenta maior destaque nos grupos qualificação da força de trabalho e conheci mento e inovação, devido à boa formação superior da mão-de-obra, ao elevado número de doutores, à grande oferta de cursos de pós-graduação bem conceituados e ao número de registros de patentes. Embora possua diversos indicadores de infra-estrutura classificados como elevados, a posição, nesse grupo, é menos favorável em relação à dos demais estados, em virtude do nível mais baixo de rodovias pavimentadas e de capacidade instalada de geração elétrica e de gás natural. Tais resultados mostram que a economia gaúcha possui boas condições estruturais para atrair fatores produtivos, mesmo diante de choques adversos que, recorrentemente, restringem seu crescimento, como as variações climáticas e as oscilações cambiais.

Potencial competitivo do Rio Grande do Sul

Compartilhe