Perspectivas do perfil da população do Rio Grande do Sul

Dos atuais 10,8 milhões de habitantes do Rio Grande do Sul, 31% possuem menos de 20 anos, e 13% estão com 60 anos ou mais. Desde a década de 70, a população com idade entre 20 e 59 anos é maior do que a soma dos jovens com os idosos.

Conforme mostra o gráfico, a razão de dependência da população gaúcha – medida pelo número de pessoas potencialmente dependentes (com idade entre zero e 19 anos e dos com 60 anos ou mais) em relação à população potencialmente ativa (de 20 a 59 anos) -, desde 1970, apresenta uma acentuada queda. A decomposição dessa razão mostra que essa tendência se deve à diminuição da dependência dos jovens, uma vez que o número de jovens, até a década de 70, era maior do que o da população em idade potencialmente ativa. Em contrapartida, há um aumento na dependência dos idosos.

As projeções populacionais da FEE para o RS mostram que, após 2015, haverá uma reversão na tendência da razão de dependência total devido à crescente participação dos idosos, prevendo-se, inclusive, que haja um número maior de idosos do que de jovens em 2040. No contexto das oportunidades decorrentes da redução da razão de dependência, pode-se destacar que a maior oferta do contingente de população ativa ocorrida nas últimas décadas é, em tese, favorável à economia. Por outro lado, o benefício econômico do crescente aumento no número de idosos dependerá da capacidade de poupança destes e de como ocorrerão as transferências intergeracionais.

Perspectivas do perfil da população do Rio Grande do Sul

Compartilhe