Participação das mulheres nas câmaras municipais do Rio Grande do Sul

A participação feminina nas câmaras municipais do Rio Grande do Sul, entre 1992 e 2004, passou por um acréscimo significativo, em que pese o predomínio masculino. A proporção de mulheres eleitas em relação ao total de vereadores homens e mulheres eleitos, em 1992, foi de 5%. Em 2004, essa proporção havia passado para 12%. Enquanto o acréscimo de vereadores homens eleitos entre 1992 e 2004 foi de 17,3%, o de mulheres foi de 201,1%. O número de vereadoras provavelmente teria sido maior, se não houvesse entrado em vigor, nas eleições de 2004, resoluções do Tribunal Superior Eleitoral que fixaram o número de vereadores eleitos por municípios conforme sua população. Essas medidas reduziram em 269 o número de vereadores eleitos em 2004, em comparação com o pleito de 2000.

Em que pese certa abertura e incentivo no sentido de maior participação das mulheres na vida política-partidária, como estabelece a lei de cotas, essa participação está muito aquém do seu contingente populacional, como revelam também dados do último pleito sobre a participação feminina na Assembléia gaúcha, onde há apenas cinco deputadas em um total de 55 representantes, ou na Câmara Federal, onde foram eleitas, recentemente, somente 46 deputadas em um total de 513 representantes.

Participação das mulheres nas câmaras municipais do Rio Grande do Sul

Compartilhe