Os jovens no mercado de trabalho da RMPA (2000-12)

Um dos marcos da transição do jovem para a vida adulta ocorre com a passagem do ambiente escolar para a inserção no mercado de trabalho. Porém a vinculação do jovem com o mundo do trabalho revela algumas peculiaridades, como a taxa de desemprego elevada em comparação à dos adultos e o alto número de jovens que não estudam nem trabalham. Com o intuito de analisar as principais mudanças pelas quais passou o segmento juvenil na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA) entre 2000 e 2012, é utilizada a base de dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMPA). Para propósitos de análise, são considerados jovens os indivíduos do segmento populacional entre 16 e 24 anos.

No período analisado, a população jovem cresceu até 2004, quando atingiu 615 mil indivíduos. Contudo, a partir de 2005, esse segmento da população passou a declinar, situando-se em 552 mil indivíduos em 2012, sendo um indicativo do processo de transição demográfica e mudança na estrutura etária da população no Brasil. A proporção dos jovens na População em Idade Ativa (PIA), por sua vez, após ter-se mantido relativamente estável, ao redor de 20,0%, entrou em uma trajetória declinante a partir de 2005, atingindo 16,5%, em 2012. Concomitantemente a isso, a População Economicamente Ativa (PEA) jovem caiu 12,7% entre 2000 e 2012.

Analisando-se os jovens que se encontravam na situação de ocupados na RMPA, a mudança no nível de escolaridade em pouco mais de uma década foi significativa. Os jovens com escolaridade fundamental incompleta, que representavam 27,4% em 2000, passaram a representar 12,1% dos ocupados jovens em 2012, enquanto o grupo com ensino médio completo a superior incompleto passou de 40,2% para 54,7% no mesmo período. Apesar desse movimento de melhoria na escolarização no segmento juvenil, em 2012, 11,2% dos jovens não estudavam nem trabalhavam na Região. Os dados da PED revelam que, mesmo com a queda verificada em relação ao ano 2000, a taxa de desemprego entre os jovens na RMPA foi de 15,8% em 2012, sendo mais do que o dobro da verificada na média do mercado de trabalho.

Os jovens no mercado de trabalho da RMPA (2000-12)

Compartilhe