O potencial de crescimento da indústria automobilística no Brasil

A estimativa do potencial de crescimento do mercado é uma variável crucial às decisões econômicas, seja para o investimento das empresas, seja para a construção de políticas industriais pelos governos. Para a indústria automobilística, uma aproximação para esse potencial é dada pela taxa de motorização do país, que informa o número de habitantes para cada autoveículo em circulação. Ainda, essa informação é comparada à média das nações do G7, que indica o patamar aproximado da taxa de motorização a partir do qual o mercado do país atinge a saturação, passando a crescer basicamente através da reposição da frota. Assim, os dados sobre o G7 apontam que a estabilidade das vendas é atingida, em média, quando essa taxa apresenta relação próxima de 1,5 hab./autoveículo.

Para o Brasil, mesmo com o crescimento de 140,8% nas vendas de autoveículos entre 2003 e 2012, a taxa de motorização neste último ano foi de 5,3 hab./autoveículo, indicando que ainda há um potencial significativo para o crescimento desse mercado. Esse diagnóstico informa as recentes políticas de apoio ao setor, sobretudo o Inovar-Auto. Sua lógica consiste na troca de acesso ao mercado brasileiro pelas montadoras de autoveículos, pela adesão a um conjunto de requisitos, entendidos como estratégicos ao desenvolvimento nacional. Esses se referem, basicamente, à produção local com conteúdo nacional, para adensar o complexo de produção, e à atualização tecnológica de veículos e instalações produtivas, visando atingir o padrão observado nos países do G7. Assim, o potencial do mercado e a adequação ao Inovar-Auto ajudam a explicar os novos investimentos da indústria automobilística no Brasil a partir de 2013. Entretanto, para viabilizar o aumento das vendas, também são necessários investimentos em melhora da infraestrutura e dos transportes, principalmente nas principais cidades do País.

índice de unidades

Compartilhe