O Plano-Safra 2007/2008

O Plano Agrícola e Pecuário (PAP) estabeleceu que os recursos destinados à agricultura empresarial para a safra 2007/2008 serão de R$ 58 bilhões, representando um aumento de 16% em relação à safra anterior, o qual se refere, na sua quase- -totalidade, aos empréstimos para custeio e comercialização, já que a parcela destinada aos investimentos teve um acréscimo de apenas 3,5%.

Do total de recursos destinados ao financiamento agrícola, R$ 36,5 bilhões serão alocados com taxas de juros controladas, que sofreram uma redução de 8,75% para 6,75% ao ano. Esse foi o ponto que criou o maior impasse entre o Governo e as entidades representativas dos produtores rurais. Havia uma pressão dos produtores por um decréscimo dos juros dos financiamentos agrícolas na mesma proporção da redução da taxa referencial de juros da economia (Selic).

Com relação ao endividamento dos produtores, não houve grandes mudanças em relação ao divulgado em meados de junho. O Governo já havia anunciado o adiamento do vencimento das dívidas para 31 de agosto deste ano para os produtores adimplentes até 31 de dezembro de 2006. Também havia prorrogado em 12 meses depois do vencimento dos contratos o pagamento das parcelas de custeio das safras 2004/2005 e 2005/2006, já prorrogadas e com vencimento em 2007.

Programação de recursos para a agricultura no Brasil — safras 2006/2007 e 2007/2008

FONTE: SPA-MAPA.

Compartilhe