O canal do crédito e o poder da política monetária

Pode-se definir o poder da política monetária como o grau de influência que uma alteração na taxa básica de juros tem sobre a atividade econômica e, consequentemente, sobre a inflação.

No período recente, dois elementos importantes podem ter alterado a relevância do mercado de crédito como mecanismo de transmissão da política monetária. O primeiro é a evolução dos volumes de empréstimos (recursos livres mais direcionados) na economia brasileira, nos últimos anos. É de se esperar que a importância do canal de crédito seja maior, à medida que continue o processo de aprofundamento financeiro da economia. O segundo elemento são as operações de crédito direcionado em geral — e as do BNDES em particular — , que saltaram, segundo o Banco Central, de 9,8% do PIB em dezembro de 2004 para 16,1% em fevereiro de 2011.

Especificamente, a expansão das operações de crédito direcionado, as quais não são feitas a taxas de mercado, diminuem a importância do canal de crédito como mecanismo de transmissão da política monetária. Isso faz com que a taxa de juros Selic afete menos o nível de atividade da economia, tornando o esforço do Bacen para reduzir a inflação ainda maior, como, por exemplo, reduzir o parcelamento das vendas a prazo e aumentar o depósito compulsório sobre os depósitos à vista.

O canal do crédito e o poder da política monetária

Compartilhe