Mulheres são maioria entre os desempregados na RMPA

As informações captadas pela Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre (PED-RMPA) mostram que, em 2001, pelo segundo ano consecutivo, a taxa média de desemprego das mulheres apresentou decréscimo, passando de 19,6% da PEA em 2000 para 18,2% no ano em análise, reduzindo-se em 10 mil pessoas o contingente de desempregadas. Na força de trabalho masculina, a redução do desemprego foi expressivamente maior (17 mil pessoas), tendo ocorrido recuo na taxa de desemprego total de 14,2% para 12,3% da PEA. Assim, a população de mulheres desempregadas ficou estimada em 137 mil pessoas, e a de homens desempregados, em 115 mil pessoas. Com isso, as diferenças entre os gêneros aprofundaram-se ainda mais, trazendo novos desafios para a construção da eqüidade no âmbito do mercado de trabalho.

Embora, no ano em análise, tenha ocorrido decréscimo no contingente de mulheres desempregadas, foi ampliada sua participação em relação ao segmento masculino, passando de 52,7% em 2000 para 54,4% em 2001. Conseqüentemente, essa evolução vem acentuar a feminização do desemprego. É importante destacar, ainda, que, desde 1998, as mulheres passaram a constituir maioria  no contingente desempregado, e sua participação, a partir daí, vem evoluindo  ascendentemente.

Mulheres são maioria entre os desempregados na RMPA

Compartilhe