Mortalidade por causa e sexo no Rio Grande do Sul, em 2005

De acordo com dados da Secretaria Estadual da Saúde, o principal grupo de causas da mortalidade dos gaúchos, em 2005, foi doenças do aparelho circulatório, responsável por cerca de 30% dos óbitos. Em segundo lugar, aparece neoplasias, respondendo por 20% dos óbitos. Esses dois grupos de causas ocupam essas posições independentemente do sexo e ocorrem, principalmente, entre a população mais velha. Para os homens, a terceira posição é ocupada pelo grupo das causas externas, que inclui óbitos devido a homicídios, suicídios, acidentes de trânsito, etc., sendo essas as causas de 14% dos óbitos masculinos. Para as mulheres, esse grupo de causas ocupa apenas a sétima posição, sendo responsável por cerca de 4% dos óbitos femininos.Tendo em vista que esse tipo de óbito afeta especialmente os jovens do sexo masculino entre 15 e 29 anos — faixa etária que concentra um terço das mortes por causas externas —, esse diferencial entre os sexos na mortalidade por esse grupo de causas explica também as diferenças encontradas na expectativa de vida de homens e mulheres. Calculando-se esse indicador para o ano de 2005, utilizando os dados de óbitos registrados pela Secretaria Estadual da Saúde e a população estimada pela FEE, verifica-se que a diferença é de cerca de oito anos, uma vez que é de 70,5 anos para os homens e de 78,6 anos para as mulheres.

Mortalidade por causa e sexo no Rio Grande do Sul, em 2005

Compartilhe