Migrações entre as mesorregiões gaúchas no período 2005-10

A análise das migrações entre as mesorregiões no Estado representa uma tentativa de compreender os fenômenos econômicos e sociais que influenciam o crescimento regional. Esse estudo foi baseado no Censo Demográfico de 2010, utilizando a informação de onde as pessoas declararam residir em 2005. Com base nesses dados, verifica-se que os movimentos populacionais entre as mesorregiões gaúchas alcançou um contingente de 260 mil pessoas nesse período. No final das décadas de 80 e 90, o Noroeste rio-grandense destacava-se com o maior número de emigrantes, tendo um terço do total dos mesmos — mais de 100 mil pessoas. O Censo de 2010 revelou que essa região perdeu a primeira posição para a Região Metropolitana de Porto Alegre, tendo, cada região, em torno de 24% dos emigrantes totais no período 2005-10. Em terceiro lugar no número de emigrantes está a Região Sudoeste, com participação crescente a partir dos três últimos censos, chegando a 15% entre 2005 e 2010. O maior fluxo de imigrantes foi para a Região Metropolitana de Porto Alegre, representando 90 mil pessoas (34,3%). Em segundo lugar como região de atração, está o Nordeste do Estado, com 50 mil pessoas (19,1%), e, em terceiro lugar, está a Região Noroeste, com 38 mil (14,4%). As duas primeiras regiões apresentam saldos migratórios positivos de 26.173 e 22.583 pessoas respectivamente. Já na Noroeste, o número de imigrantes não compensou o de emigrantes, tendo o maior saldo negativo entre as regiões, de 25.324 pessoas.

Migrações entre as mesorregiões gaúchas no período 2005-10

Compartilhe