Matrículas públicas na educação profissional e tecnológica

Na última década, foi incentivada a qualificação da mão de obra necessária para acompanhar e estimular o desenvolvimento socioeconômico do País. Em 2011, o número de matrículas na educação profissional era de 1.250.900, sendo a participação da rede pública (municipal, estadual e federal) de 53,5%. No RS, a matrícula abarcava 94.184 estudantes, e a participação da rede pública era levemente inferior à do Brasil, 51,1%.

Em relação às matrículas da educação tecnológica (nível superior), essas chegavam a 870.534 no Brasil e a 52.667 no RS. A participação da esfera pública no total dessa matrículas no Brasil (14,8%) e no RS (13,8%) era pouco significativa, embora a administração federal tenha dado à educação tecnológica, nos últimos anos, uma atenção especial, com o aporte de recursos do MEC para a implantação dos cursos tecnológicos tanto no RS como no restante do País. O lançamento, em 2011, do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec) reforçou a oferta de vagas da educação profissional técnica de nível médio e possibilitou o acesso gratuito aos cursos de curta duração da iniciativa privada. O seu objetivo é ofertar, em quatro anos, até 3,5 milhões de bolsas para jovens de ensino médio e trabalhadores e garantir que 8 milhões de pessoas se qualifiquem para o mercado de trabalho.

Com os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFETs), o Governo Federal tem reforçado o ensino profissional e tecnológico, articulando-os com o desenvolvimento regional e local.

Matrículas públicas na educação profissional e tecnológica

Compartilhe