Mantida a tendência de retração da produção industrial gaúcha

O indicador acumulado de produção física do IBGE mostrou uma queda de 1,1% na produção industrial do Rio
Grande do Sul no ano de 2001, confirmando a tendência de retração da atividade produtiva já apontada em números anteriores da Carta de Conjuntura. Em comparação com outros estados, o RS registrou o segundo pior desempenho, porém com uma queda na produção significativamente menor do que a observada pelo último colocado, o Estado do Ceará (-7,3%). As melhores taxas foram obtidas por Santa Catarina e Paraná, beneficiados pela expansão das vendas de máquinas e equipamentos para energia elétrica e insumos energéticos respectivamente.

O resultado desfavorável do RS reflete, além da questão da base de comparação (elevadas taxas de crescimento em 2000), as dificuldades enfrentadas pelas empresas pertencentes aos gêneros química e material elétrico e de comunicações, atingidas pela elevação dos preços das matérias-primas e dos componentes importados, decorrente da desvalorização cambial. Em contraste, o gênero mecânica, notadamente a produção de máquinas e colheitadeiras agrícolas, repetiu a excelente performance observada no ano anterior, estimulada pela boa safra de grãos e pelo programa nacional de apoio à renovação da frota agrícola.

Mantida a tendência de retração da produção industrial gaúcha

Compartilhe