Interrompe-se o comportamento desfavorável da ocupação e do desemprego na RMPA

Após três meses de comportamento desfavorável, o nível de ocupação e a taxa de desemprego, na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), apresentaram relativa estabilidade no mês de maio, tendo-se situado, respectivamente, em 1.563 mil ocupados e 15,4% da População Economicamente Ativa (PEA). Conforme se pode constatar no gráfico, o nível de ocupação na RMPA, que havia atingido 1.611 mil ocupados em janeiro de 2006, passou a declinar em fevereiro, tendo recuado para 1.562 mil ocupados em abril. Quanto à taxa de desemprego, após se ter reduzido para 13,2% em janeiro de 2006, esta passou a se elevar a partir de fevereiro, atingindo 15,5% em abril. Deve-se assinalar que esses comportamentos da ocupação e do desemprego eram, em certa medida, esperados, dado que a atividade econômica costuma apresentar alguma retração, ocasionada por fatores de caráter sazonal, nesse período do ano, o que incide negativamente sobre o desempenho do mercado de trabalho. No que diz respeito especificamente à taxa de desemprego, cabe destacar, não obstante, que, desde março do corrente ano, esta passou a se situar em um patamar superior ao de igual mês do ano anterior, indicando uma deterioração conjuntural da capacidade de absorção de mão-de-obra pelo mercado de trabalho metropolitano. Em termos de perspectivas, fica em aberto se a interrupção da redução do nível de ocupação e da elevação da taxa de desemprego, observada em maio do corrente ano pode ser tomada como evidenciando que o mercado de trabalho esteja, efetivamente, ingressando em um processo de recuperação de seus principais indicadores.

Interrompe-se o comportamento desfavorável da ocupação e

Compartilhe