Impactos econômicos da GM em Gravataí

A partir da instalação do Complexo Industrial Automotivo da General Motors em julho de 2000, o Município de Gravataí foi beneficiado em diversas áreas. Além dos empregos diretos gerados pela montadora, houve a criação de outros milhares de empregos indiretos criados pelos sistemistas instalados dentro do complexo industrial e demais segmentos da economia de Gravataí, conforme se lê na tabela.

Analisando a variação do Produto Interno Bruto de Gravataí nos dois anos iniciais de funcionamento da montadora, quando o impacto da sua instalação foi mais acentuado sobre o PIB do município, pode-se verificar que este cresceu, em termos nominais, bem acima da média do RS: 22,5% em 2000 e 40,7% em 2001 contra 12,8% e 10,5% para o RS nos mesmos anos, respectivamente. Entre 1999 e 2005, último ano para o qual se dispõe de dados para a série, o PIB de Gravataí cresceu, em termos nominais, 148,1%. No mesmo período, o crescimento nominal desse agregado econômico foi de 91,3% no Estado.

O PIB per capita de Gravataí aumentou, nominalmente, nos anos de 2000 e 2001, período imediatamente subseqüente à implantação da GM, bem mais do que o indicador estadual: 17,7% e 37,4% contra 11,6% e 9,3% respectivamente. Entre 1999 e 2005, o acréscimo nominal do indicador para o Município foi de 112,4%, e o do RS foi de 78,9%.

Outro dado significativo que mostra o impacto da GM em Gravataí é a comparação do crescimento do Valor Adicionado Bruto (VAB) do seu setor industrial com o do mesmo setor do RS no período 1999-05: 137,1% contra 40,1% respectivamente. Já o desempenho do setor serviços, no mesmo período, para Gravataí e para o Estado foram similares: 131,4% e 121,1% respectivamente.

Impactos econômicos da GM em Gravataí

Compartilhe