Evolução pouco favorável do mercado de trabalho na RMPA, no primeiro semestre

O comportamento do mercado de trabalho na Região Metropolitana de Porto Alegre (RMPA), no primeiro semestre de 2005, indica que a trajetória favorável observada no decorrer de 2004 dá sinais de arrefecimento. De fato, dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED-RMPA) até junho mostram que a taxa de desemprego total vem subindo no decorrer deste semestre, embora se situe em patamar inferior ao do mesmo período de 2004: tomando-se o mês de jun./05, essa taxa foi de 15,0% da População Economicamente Ativa, face aos 16,8% registrados no mesmo mês do ano anterior. Quanto ao nível ocupacional, houve crescimento de 1,0% entre dez./04 e jun./05, registrando-se forte recuperação do assalariamento com carteira de trabalho assinada (mais 50 mil postos) e queda em formas de inserção precárias, tais como o assalariamento sem carteira e o emprego doméstico. Todavia o comportamento oscilante da ocupação, já observado desde o último trimestre de 2004, interrompe a trajetória ascendente que marcou o ano anterior, o qual encerrou com um contingente médio de ocupados de 1,52 milhão de pessoas (45 mil a mais do que no ano precedente). Os rendimentos médios reais do trabalho, por sua vez, têm-se situado em níveis inferiores aos registrados no ano anterior, na comparação mensal: em maio/05, o rendimento médio real de R$ 903 estava 1,4% abaixo do valor de maio/2004.

Contribuíram para tais resultados, no semestre, tanto a valorização cambial quanto a estiagem que prejudicou a safra agrícola, fatores estes que afetam sobremaneira a economia do Estado gaúcho, dado seu perfil exportador e o peso do setor agrícola.

Evolução pouco favorável do mer

Compartilhe