Energia e aquecimento global

O enfrentamento das causas do aquecimento global impõe um impasse para a humanidade. Por um lado, é necessário reduzir drasticamente a geração de gases de efeito estufa, e, por outro, o crescimento populacional e o desejável avanço no bem-estar dos países periféricos apontam um considerável crescimento daquelas emissões geradoras de alterações climáticas. Essas mudanças terão efeitos que se farão sentir diretamente na disponibilidade de alimentos, de água e de energia renovável.

O principal responsável pela geração dos gases de efeito estufa é a energia, seguida da devastadora eliminação das florestas. A manutenção da tendência atual de crescimento econômico para as próximas décadas só será possível com o uso pesado de energéticos não renováveis na matriz energética.

Assim, para manter o mesmo ritmo de crescimento econômico até 2030, o consumo mundial de energia terá um aumento da ordem de 60% em relação ao atual, fato que gerará de 50% a 100% mais emissões de CO2.

As diferentes alternativas propostas, que vão do “Plante uma árvore” à captura do carbono, fundamentais no processo de redução das emissões de gases de efeito estufa, não serão suficientes para reverter o quadro do aquecimento global. Todavia na economia de energia encontra-se a principal ação para a redução desses gases, ação esta que requer uma transformação radical na forma de vida da humanidade. Para tanto, é necessária a mudança do paradigma do consumo ditado pelo mercado para o paradigma da sobrevivência da terra.

Energia e aquecimento global

Compartilhe