Emprego formal: novo recorde no País e recuperação no RS

A geração de emprego formal no Brasil bateu novo recorde de janeiro a novembro de 2007, quando foram criados 1.936.806 postos de trabalho celetistas. Esse foi o maior saldo da série histórica do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego, para o mesmo período, superando a marca de 2004 (1.875.360), até então o melhor resultado. O aquecimento da economia (previsão de crescimento do PIB em torno de 5% em 2007) e o vigor da retomada do mercado imobiliário promoveram a expansão generalizada do emprego. Todos os setores apresentaram elevação, liderados pelo setor serviços, com 627.898 postos — recorde na série histórica do setor —, e pela indústria de transformação, com 537.556 postos — um resultado só superado pelo de 2004. Destacam-se também o comércio, com 374.962 postos, e a construção civil, com 202.636 vagas — outro recorde no setor e a maior taxa de crescimento no período jan.-nov./ /07 (15%).

O desempenho do mercado de trabalho formal no Rio Grande do Sul, embora ainda esteja aquém do verificado em 2004, já dá sinais visíveis de recuperação, com a geração líquida de 102.389 empregos celetistas nos 11 meses de 2007 (crescimento de 5,3%), bem acima do registrado no mesmo período em 2005 e 2006. A indústria de transformação é a responsável pela maior parte das vagas acrescidas em 2007, seguida pelo setor serviços e pelo comércio, enquanto a construção civil exibe o maior incremento relativo (13,6%).

Emprego formal novo recorde no País e recuperação no RS

Compartilhe