Economia gaúcha volta a se acelerar no final do ano

Embora a taxa de crescimento da economia do Rio Grande do Sul (5,7%) tenha sido superior à do Brasil (2,7%) em 2011, ambas apresentaram trajetórias muito semelhantes. Após um início muito promissor no primeiro trimestre, seguiu-se uma desaceleração nos dois seguintes, somente revertida ao final do ano, quando as duas economias voltaram a se acelerar. No caso do Estado, os dados do Índice Trimestral de Atividade Produtiva (ITAP) mostram uma expansão, livre das influências sazonais, de 3,2% no primeiro trimestre de 2011, contra o último de 2010.

A preocupação com a inflação resultou numa política econômica que elevou as taxas de juros e restringiu o crédito durante o primeiro semestre. Além disso, a taxa de câmbio valorizada e a diminuição da demanda da Europa pelas exportações nacionais desestimularam a expansão da indústria de transformação. O resultado foi o desaquecimento tanto da economia brasileira quanto da gaúcha nos meses seguintes. No caso do Rio Grande do Sul, o ITAP cresceu 0,2% no segundo trimestre e caiu 0,1% no terceiro, sempre na comparação com o trimestre imediatamente anterior.

A intensidade da desaceleração, no entanto, foi maior que a esperada pelo Banco Central, que, para reverter o quadro, começou a baixar os juros no início do segundo semestre. O estímulo foi sentido somente no último trimestre do ano, quando a economia voltou a se acelerar, tendo o ITAP se elevado em 1,2% no período.

Economia gaúcha volta a se acelerar no final do ano

Compartilhe