E a polêmica da soja continua

A edição da Medida Provisória nº 131, de 25 de setembro de 2003, que liberou o plantio da soja transgênica na safra 2003/2004, longe de resolver o impasse da adoção dessa nova tecnologia, acabou aumentando a polêmica a respeito no País. O que causa estranheza é que o debate se acha centrado apenas na soja e acabou adquirindo um viés marcadamente ideológico. Essa ideologização do debate não tem ajudado no sentido de encaminhar a discussão sobre biotecnologia no País e tem esquecido de considerar o evidente consumo, já há algum tempo, de vários produtos que contêm elementos
transgênicos na sua composição.

No contexto atual, também não parecem estar sendo consideradas as possíveis vantagens econômicas dessa produção para o País. O Brasil dificilmente poderá abrir mão da produção gaúcha, onde se estima que pelo menos 70% do total da produção seja de soja transgênica. São originados, no Rio Grande do Sul, quase 20% do total da produção de soja do Brasil, e 16% das exportações brasileiras do complexo soja saem do Estado.

Além disso, a tese de que há dificuldade de colocação da soja transgênica no mercado internacional não foi comprovada até o momento, já que não houve qualquer dificuldade com relação às exportações de soja gaúcha em 2003. Neste ano, as vendas gaúchas de soja e seus derivados cresceram 28% em quantidade e 43% em valor, em relação a 2002. Mais ainda, um mercado em expansão nas proporções observadas recentemente não deverá apresentar, pelo menos num futuro próximo, restrições absolutas ao consumo da soja transgênica.

E a polêmica da soja continua

Compartilhe