Desempenho da indústria gaúcha no segundo semestre de 2010

No ano de 2010, a indústria gaúcha de transformação do Rio Grande do Sul registrou uma taxa de crescimento de 6,9%, apresentando um desempenho inferior ao da indústria brasileira (10,5%). Esse resultado ainda é desfavorável em relação a outros Estados que também possuem forte peso na produção industrial nacional, como SP, MG, RJ e PR. Isso pode ser explicado por vários fatores conjunturais, como é o caso dos fenômenos climáticos que impactaram a produção de fumo, fortemente incidentes no segundo semestre de 2010.

Quanto à qualidade do crescimento, considerado do ponto de vista setorial, a produção da indústria gaúcha foi liderada pelos mesmos setores que lideraram nos estados referidos. É o caso do excepcional crescimento da produção de bens de capital agrícolas, industriais e de transportes (29,2%) e de veículos automotores (25,7%), destacando-se também metalurgia básica (29,9%) e produtos de metal (22,2%) (IBGE).

O que se quer destacar é o baixo crescimento relativo da indústria do RS, que foi consequência de quedas de produção setorialmente localizadas. Nos meses de agosto, setembro e outubro, em relação ao mês imediatamente anterior, a produção industrial diminuiu, respectivamente, 4,5%, 1,9% e 0,9%. Isso se deve à expressiva diminuição de refino de petróleo e produção de álcool — que recuperou o nível de produção de julho apenas em novembro — e da produção e processamento de fumo. Dentre outros setores com grande peso na indústria gaúcha que apresentaram forte desaceleração no segundo semestre de 2010, destacam-se também produtos petroquímicos e mobiliário, mesmo que tenham apresentado níveis de produção superiores aos registrados no segundo semestre de 2009.

Desempenho da indústria gaúcha no segundo semestre de 2010

Compartilhe