Desempenho da agricultura no primeiro semestre e perspectivas para 2011

O desempenho da lavoura gaúcha, no primeiro trimestre de 2011, foi destaque no resultado do Índice Trimestral da Atividade Produtiva (ITAP), divulgado pela Fundação de Economia e Estatística (FEE). Registrou-se um crescimento real de 33,4% em relação ao primeiro trimestre do ano anterior. Tal desempenho impulsionou significativamente a economia do Estado, contribuindo com 2,5 pontos percentuais do crescimento de 7,3% apontado pelo indicador. Dois produtos determinaram o grande crescimento real da agricultura no primeiro quarto do ano: o arroz e o fumo. Juntas, essas duas culturas, que apresentaram crescimentos expressivos no período, representam em torno de 65% do valor produzido pela agricultura no primeiro trimestre.

O arroz apresentou um crescimento de 27,6% em relação ao primeiro trimestre do ano anterior. Esse movimento retoma a trajetória de crescimento dessa cultura, iniciada em 2007 e interrompida em 2010 devido a uma quebra de safra. Em 2011, alcançou-se a maior quantidade produzida da série histórica. Segundo estimativas do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), a produção de arroz em 2011 será de, aproximadamente, 8,9 milhões de toneladas. O crescimento do arroz deu-se tanto em área colhida (11,1%) quanto em produtividade (14,8%), que é definida como a razão entre a quantidade produzida em toneladas e a área colhida em hectares.

A outra principal cultura do primeiro trimestre, o fumo, apresentou um crescimento de 38,7% em relação a igual período do ano anterior. O crescimento deste ano dá-se sobre dois anos de queda da quantidade produzida, quando a produção caiu 23%. Com o crescimento em 2011, a produção ultrapassou ligeiramente o patamar alcançado em 2006 e 2007, com uma quantidade produzida da ordem de 475.000 toneladas, de acordo com projeções do LSPA. Diferentemente do arroz, a área de cultivo reservada ao fumo manteve-se praticamente estável, com um crescimento de 1,3%. O bom desempenho da lavoura de fumo veio a partir de um aumento de 42,3% da produtividade do setor, que se deve, em parte, à quebra de safra do ano anterior.

Com os dados disponíveis até junho, já se pode projetar o desempenho da agricultura gaúcha no ano de 2011. Isto porque cerca de 90% do seu valor é gerado no primeiro semestre do ano, período em que se concentram as principais culturas produzidas no Estado (soja, arroz e fumo). Aproximadamente, 33% da produção anual da agricultura ocorrem no primeiro trimestre, e 57%, no segundo. O principal produto da lavoura do Estado no segundo trimestre é a soja, representando em torno de 60% da produção desse período. A soja também é o principal produto da lavoura do Estado quando se considera a produção de todo o ano, representando 36,9% da lavoura gaúcha, seguida do arroz (25,0%) e do fumo (10,8%).

Segundo dados do LSPA, o crescimento previsto para a produção de soja em 2011 é de 13,7%, o que significa um novo recorde de produção, estimada em, aproximadamente, 11,8 milhões de toneladas. Este é o terceiro ano consecutivo de crescimento da produção de soja, após a quebra de safra de 2007. O que garantiu a continuidade do crescimento da produção neste ano foi, principalmente, o aumento de 10,4% da produtividade e, em menor grau, o crescimento de 3,0% da área colhida.

Impulsionada pelo crescimento das três principais culturas do Estado, a agricultura gaúcha, em 2011, deverá apresentar um bom resultado. A partir das estimativas do LSPA relativas a junho, pode-se estimar um crescimento da lavoura em 2011, medida pelo ITAP, de 17% aproximadamente, crescimento maior do que o ocorrido no último ano.

Desempenho da agricultura no primeiro semestre

Compartilhe