Desaceleração do comércio varejista gaúcho

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio do IBGE (PMC-IBGE), o volume de vendas do comércio varejista gaúcho apresentou queda de 7,1% em maio/05, em comparação com o mesmo mês do ano anterior. A quebra da safra agrícola decorrente do período de estiagem no início do ano e o fraco desempenho do setor industrial são fatores que contribuíram para essa má performance.

Sua evolução no decorrer dos cinco primeiros meses do ano reflete um movimento tendencialmente declinante, esboçando um quadro pessimista para o setor. Em janeiro, as vendas apresentaram um acréscimo de 6,2% em relação a igual mês do ano anterior. No entanto, as taxas foram gradativamente caindo, apresentando valores de 2,5%, -0,7%, -3,5% para os meses de fevereiro, março e abril de 2005, até obter taxa de -7,1% em maio.

Esse desempenho do comércio do Rio Grande do Sul é inferior ao apresentado pela média nacional em todos os meses do ano. Em maio/05, o volume de vendas do comércio brasileiro apresentou taxa positiva de 1,8% em relação a maio/04.

As atividades comerciais gaúchas que apresentaram desempenhos negativos em maio, em comparação com igual mês do ano anterior, foram: combustíveis e lubrificantes (-20,1%); veículos, motos, partes e peças (-13,5%); tecidos, vestuário e calçados (-20,1%); material de construção (-8,8%); e móveis e eletrodomésticos (-0,4%). Com bom desempenho, destacam- -se os segmentos: hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo; e livros, jornais, revistas e papelaria, que apresentaram crescimentos de 1,7% e 11,7%, superiores aos 1,2% e -0,2% da média nacional das respectivas atividades.

Desaceleração do comércio varejista gaúcho

Compartilhe