Comércio varejista do Estado busca recuperação

O Índice de Vendas do Varejo (IVV) calculado pela FEE, resultante da parceria com a Fecomércio-RS, lançado em jun./ 06, tem-se constituído em um indicador relevante para avaliar a evolução conjuntural do comércio varejista no Estado do Rio Grande do Sul, em sub-regiões e em cidades selecionadas. O gráfico mostra o resultado do IVV acumulado no ano, referente ao período jan.-jun./06, em comparação com o do mesmo período do ano anterior, identificando dinâmicas sub-regionais e das principais cidades do Estado.

No primeiro semestre de 2006, o Estado apresentou um crescimento de 1,0% no volume de vendas do comércio varejista. Separando-se o Estado em Região Metropolitana e Não Metropolitana, podem-se observar dinâmicas diferenciadas, pois a primeira cresceu apenas 0,2%, e a segunda cresceu 1,5%. Convém destacar que a taxa relativamente elevada da Região Não Metropolitana reflete uma recuperação em curso no interior, após a forte estiagem de 2005, que derrubou o volume de vendas naquele ano. Já na Região Metropolitana, o comportamento de relativa estabilidade está associado ao cenário de crise industrial, devido à valorização cambial, que tem comprometido o crescimento do emprego e da renda.

Segmentando o Estado em macrorregiões, a macrorregião Sul-Campanha apresentou uma queda significativa, da ordem de 4,3%, enquanto todas as outras apresentaram variação positiva, com destaque para a macrorregião Nordeste, cujo crescimento foi de 4,2%.

Com relação às principais cidades do Estado, houve um comportamento bastante diferenciado, com Caxias do Sul tendo uma variação positiva de 7,7% no volume de vendas e, em outro extremo, com Novo Hamburgo sofrendo uma queda de 8,7% no mesmo indicador. O resultado desta última reflete o impacto da crise do setor calçadista, na medida em que ele responde por grande parte do emprego e da renda do Município. A Cidade de Porto Alegre teve uma queda de 0,7% nas vendas do comércio varejista, mas houve outros municípios com reduções mais fortes no volume de vendas, como Santa Maria (-1,6%) e Pelotas (-4,0%). Verificou-se crescimento positivo nas Cidades de Passo Fundo (2,6%) e Canoas (1,8%)

Os resultados do IVV para o primeiro semestre de 2006 mostram dinâmicas bastante diferenciadas, as quais resultaram num pequeno crescimento no volume de vendas total do Estado, nesse período. Também concorreu para tal resultado o evento da Copa do Mundo, que elevou as vendas de eletroeletrônicos e vestuário. Em geral, parece existir um processo de recuperação em curso nas vendas do comércio varejista, mas sua continuidade ainda é incerta. Uma dinâmica mais favorável no segundo semestre dependerá de alguns fatores, como a continuidade da recuperação da renda agrícola no interior, os efeitos da redução dos juros sobre o crédito ao consumidor e do comportamento da atividade industrial sobre o emprego e a renda, principalmente na RMPA.

Variação percentual do volume de vendas no RS, nas macrorregiões e em cidades selecionadas — acumulado jan.-jun./06

FONTE: FEE.

Compartilhe