As perdas nas exportações de carne em 2001

As previsões de perdas nas exportações brasileiras de carne em 2001 em decorrência dos focos de febre aftosa surgidos no Rio Grande do Sul em maio deste ano aparentemente não se configuraram. As vendas de carne bovina in natura apresentaram, no período jan.-jul./01, um aumento de 51% em volume, em comparação com igual período de 2000. As exportações brasileiras de carne suína também tiveram um desempenho bastante positivo, pois cresceram 136% no período considerado em relação ao mesmo de 2000.

Para o Rio Grande do Sul, no entanto, as perdas na exportação de carne bovina in natura foram significativas. O Estado, que já apresentava perdas de mercado frente a outros estados da Federação desde fevereiro de 2001, teve, com a ocorrência da aftosa, suas vendas externas ainda mais comprometidas. No mês de junho de 2001, os volumes exportados de carne in natura tiveram uma queda de 74% relativamente a junho de 2000, retração esta que foi ainda maior em julho: 94%. Esse desempenho resultou numa diminuição de 34% nas vendas ocorridas de janeiro a julho de 2001, comparando-se com o mesmo período do ano anterior. O reflexo do reaparecimento da febre aftosa foi mais lento sobre as exportações gaúchas de carne suína: foi somente em julho que essas vendas apresentaram uma redução em relação a 2000. No entanto, dado o crescimento dessas exportações nos primeiros meses de 2001, o período de jan.-jul. apresentou um crescimento de 49% em relação ao mesmo período de 2001.

As perdas nas exportações de carne em 2001

Compartilhe