As exportações do RS por fator agregado

Analisando as vendas externas do Estado, por fator agregado, em 2006, observa-se que o aumento nas receitas totais de exportação ocorreu graças ao desempenho dos produtos básicos, já que o crescimento nas vendas dos produtos industrializados foi pequeno, conforme consta na tabela, e a performance dos industrializados só não foi pior devido às vendas de semimanufaturados, visto o reduzido incremento nas exportações de manufaturados.

Se, em 2005, as perdas na safra agrícola, em função da estiagem, atingiram praticamente todo o RS, em 2006, os prejuízos decorrentes das condições climáticas restringiram-se a algumas regiões do Estado, perdendo, assim, o caráter dramático registrado no ano anterior e elevando as exportações de soja em grão em 587%. Além disso, a permissão dos importadores para o RS continuar exportando carne suína e bovina após o surto de febre aftosa que afetou alguns estados brasileiros também colaborou para o incremento nas vendas de carne gaúcha ao exterior. Tais fatos, aliados às menores receitas de exportação para os básicos em 2005, fazendo com que a base de comparação fosse baixa, explicam, em grande parte, o crescimento nas vendas de produtos básicos ao exterior, apesar das dificuldades cambiais e do desempenho negativo das exportações de fumo e de carne de frango.

Os produtos semimanufaturados, embora representem uma parcela pequena na pauta de exportações do Estado, também tiveram uma boa performance em 2006, principalmente em decorrência do desempenho favorável das vendas de óleo de soja em bruto e de couros.

Em relação aos produtos manufaturados, seu desempenho deixou a desejar, em grande parte devido à política cambial. Dado o perfil de suas vendas externas, com grande intensidade no uso do fator trabalho e uma menor dependência de insumos importados — como é o caso dos setores de calçados e de móveis —, os custos de produção permanecem atrelados ao real e não ao dólar. Tal fato os prejudica duplamente, pois não conseguem usufruir de insumos mais baratos do exterior, e suas receitas em dólar, quando convertidas em real, são cada vez menores. Foi o que ocorreu com os calçados de couro, cujo desempenho das suas exportações, ao longo de 2006, foi negativo em relação ao ano anterior, apesar do aumento no preço médio.

Assim, mantida a valorização da taxa de câmbio, não é de surpreender que, para este ano, se registre, nas exportações gaúchas, uma maior presença de produtos com menor valor agregado.

Em ordem decrescente de valor, os principais produtos exportados pelo RS em 2006, agrupados por fator agregado, foram:

– produtos básicos – fumo, soja em grão, carne suína, carne de frango e farelo de soja;
– produtos semimanufaturados – óleo de soja em bruto, pasta química de madeira e couro;
– produtos manufaturados – calçados de couro, tratores, polietileno, carrocerias, óleo diesel, partes e acessórios para tratores e veículos e móveis de madeira.

As exportações do RS por fator agregado

Compartilhe