Análise do mercado de trabalho da RMPA em 2012 e 2013

O indicador mais utilizado para avaliar o mercado de trabalho é a taxa de desemprego (TD). Quando a TD é baixa, o mercado de trabalho passa por um bom momento, ao contrário de quando ela aumenta. O desempenho do mercado de trabalho pode ser mais bem avaliado utilizando-se o diagrama de fases (figura), no qual é colocada a TD no eixo vertical e a taxa de participação (TP) no eixo horizontal. A TP indica a proporção de pessoas de 10 anos ou mais incorporadas ao mercado de trabalho como ocupadas ou desempregadas. Sendo assim, são formados quatro quadrantes, que representam diferentes fases do mercado de trabalho. No Quadrante I, o mercado de trabalho está em uma situação desconfortável, com um desempenho aquém do aceitável (a TD é alta, e a TP é baixa), refletindo uma limitação na geração de empregos. No Quadrante IV, o mercado está em uma situação confortável (a TD é inferior à média mensal de 2012 e 2013, e a TP é superior à média), o que significa que se está criando empregos. Nos Quadrantes II e III, o diagnóstico é incerto, pois ou o mercado está tendo uma performance inferior à necessária (Quadrante II), ou em condições, do lado da oferta, mais favoráveis do que o normal (Quadrante III).

Conforme os resultados da Pesquisa de Emprego e Desemprego na Região Metropolitana de Porto Alegre, a TD média ficou em 7,0% em 2012 e 6,4% em 2013, as mais baixas de toda a série da pesquisa. Porém, observando-se o diagrama de fases, nota-se que, em praticamente todos os meses, as combinações TD e TP ficam nos Quadrantes III e II, com concentração mais intensa no III. No período recente, tem-se questionado por que a TD vem decrescendo, uma vez que, desde 2011, está desacelerando o ritmo de criação de ocupações (ver Carta de Conjuntura, ano 23, n. 1). Dentre as possíveis causas, têm sido citados: o declínio do crescimento da força de trabalho, a redução do crescimento da População em Idade Ativa e o aumento da proporção de jovens que somente estuda. Porém, no ano de 2014, essa situação poderá alterar-se, dado que a possível desaceleração da atividade econômica, ou mesmo a sua redução, forçaria a entrada de pessoas no mercado de trabalho. Se, em tal contexto, a geração de postos de trabalho for insuficiente, gerar- -se-á um deslocamento para os Quadrantes I ou II, que denotam situações menos favoráveis no mercado de trabalho.

Análise do mercado de trabalho da RMPA em 2012 e 2013

Compartilhe