Agronegócio favorece a expansão industrial gaúcha

Os principais fatores que sustentaram a expansão da indústria brasileira a partir de meados de 2002 — petróleo, agroindústria e exportação — imprimiram um acentuado dinamismo ao crescimento industrial no Rio Grande do Sul. A expressiva participação na matriz industrial local dos setores que direcionam a sua produção primordialmente, para o mercado internacional ou que se vinculam direta ou indiretamente ao agronegócio vem garantindo taxas anualizadas da produção da indústria gaúcha em níveis superiores às observadas pela indústria brasileira. Estes são setores em que ainda não se manifestam quedas no grau de utilização da capacidade instalada, tal como vem ocorrendo naqueles mais dependentes da demanda interna, primordialmente os produtores de bens não duráveis e semiduráveis.

Nos primeiros cinco meses de 2003, as exportações gaúchas realizadas em grande parte por setores ligados ao agronegócio excederam em 32,2% o montante exportado no mesmo período de 2002 e reconduziram o RS ao segundo lugar no ranking dos estados exportadores. Quanto ao desempenho industrial setorial, no acumulado até abril e também nas taxas anualizadas, continuam determinantes as contribuições positivas dos gêneros mecânica (especialmente máquinas e implementos agrícolas), fumo (o beneficiamento do fumo em folha), papel e papelão (celulose) e química (produção de eteno).

Agronegócio favorece a expansão industrial gaúcha

Compartilhe