Adesão da Venezuela ao Mercosul

Com a entrada da Venezuela no Mercosul, em julho de 2006, ficou estabelecido que a liberalização comercial intrabloco ocorrerá de forma gradual, embora, nas negociações com terceiros países, deva ocorrer incorporação imediata da Venezuela ao bloco, com direito a voto.

A adesão da Venezuela ao Mercosul pode apresentar vantagens aos demais membros pela ampliação do mercado, por ser importante fonte energética, por dispor de recursos financeiros para serem aplicados na região e pelo aumento do poder de barganha do bloco nas negociações com países extrazona, dentre outros.

No período de jan.-set./06, em relação aos nove meses do ano anterior, verifica-se que as importações provenientes da Venezuela cresceram mais do que as exportações, tanto em nível nacional como estadual. Enquanto a Venezuela vende ao Brasil e ao Estado principalmente matérias-primas, como combustíveis, uréia e enxofre, nas exportações brasileiras para a Venezuela prevalecem os produtos manufaturados, como terminais portáteis de telefonia celular, automóveis, tratores e suas partes, além de carnes de aves e de carnes preparadas. Já do RS, são vendidos, particularmente, tratores, ônibus e suas partes, máquinas agrícolas e carnes de aves.

O elevado incremento do intercâmbio comercial Brasil-Venezuela, em especial nos dois últimos anos, animou alguns empresários de ambos os países. Contudo existe um certo receio pelo acréscimo da concorrência nos países menores do bloco e, especialmente, no andamento das negociações externas do Mercosul.

Adesão da Venezuela ao Mercosul

Compartilhe