A trajetória estável da indústria gaúcha em 2003

A relativa estabilidade no ritmo de crescimento da atividade industrial gaúcha em 2003 pode ser evidenciada pela evolução dos índices de produção física calculados pelo IBGE. As taxas acumuladas até fevereiro, abril, junho, agosto e outubro, em comparação com iguais períodos de 2002, mostram uma trajetória de crescimento praticamente estável, com pequenas oscilações em torno de uma taxa média positiva entre 2% e 3%, exceto o resultado acumulado até agosto (1,8%).

Esse comportamento da indústria gaúcha diferencia-se do dos demais estados pesquisados pelo IBGE. Com exceção do Rio Grande do Sul, a atividade industrial dos locais pesquisados apresentou flutuações expressivas, e quase todos chegaram em outubro com taxas de crescimento acumuladas piores do que as experimentadas no início do ano, refletindo a perda de dinamismo do setor industrial brasileiro. Minas Gerais e Santa Catarina tiveram, inclusive, performance negativa ao longo de todo o período.

Fatores como a expressiva participação dos setores vinculados ao agronegócio e a existência de importantes segmentos industriais que direcionam parcela significativa de sua produção para o mercado externo têm contribuído sobremaneira para a manutenção desse desempenho positivo e estável da indústria gaúcha ao longo de 2003, quase sempre acima da média nacional.

A trajetória estável da indústria gaúcha em 2003

Compartilhe