A retomada da produção da indústria gaúcha em 2010

Seguindo a mesma trajetória de recuperação da indústria brasileira, o parque industrial gaúcho apresentou um crescimento de 16,1% na produção física, no primeiro trimestre de 2010, em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse crescimento, no entanto, não se tem distribuído uniformemente entre as atividades industriais. Assim, verifica-se que a indústria pesada, cujos setores foram mais prejudicados pela crise econômica em 2009, tem apresentado as mais elevadas taxas de crescimento. Por outro lado, outros ramos mais tradicionais da indústria gaúcha, como os de calçados e fumo, ainda não conseguiram recuperar-se dos efeitos da crise. A única exceção a esse comportamento é a indústria do mobiliário, que não só conseguiu recuperar-se, como apresenta um patamar de produção bem acima daquele pré-crise.

Convém destacar-se, no entanto, que as taxas elevadas de crescimento referem-se a uma base extremamente baixa de comparação, que foi o primeiro trimestre de 2009. De fato, quando se compara a produção atual com a do primeiro trimestre de 2008, período pré-crise, verifica-se que o nível de produção da indústria de transformação gaúcha ainda está 3,4% inferior ao daquele período, enquanto o da sua similar nacional está 0,9% acima.

Uma vez que essa assimetria no crescimento setorial também pode ser verificada na indústria nacional, deve-se ter cautela, ao afirmar que a economia brasileira está passando por um processo de superaquecimento, uma vez que, até o momento, em grande parte das atividades industriais, ainda não se retomaram os patamares de produção que já existiam no início de 2008.

A retomada da produção da indústria gaúcha em 2010

Compartilhe