A migração no Rio Grande do Sul

Os dados do Censo Demográfico de 2000 sobre movimentos migratórios da população brasileira indicam que o número de gaúchos naturais residindo fora do Estado (1.012.590 pessoas) era bem maior que a população não natural do Rio Grande do Sul residente no Estado (382.502 pessoas), na-quele ano.

O fluxo de deslocamento dos gaúchos ocorreu principal-mente para Santa Catarina, havendo 341.273 naturais do Rio Grande do Sul residindo naquele estado, representando 34% do total de emigrantes gaúchos. Paraná está em segundo lugar, com 31% dos emigrantes, seguido por São Paulo e Mato Grosso, ambos com cerca de 8% do total. Há predominância de emigrantes do sexo masculino para as Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. As mulheres são maioria na emigração para o Sudeste e demais estados da Região Sul.

A maioria dos imigrantes que chegaram no Estado veio de Santa Catarina (45%) e Paraná (19%). Em terceiro lugar, estão os imigrantes estrangeiros, que são 10% da população não natural do Estado. Há predominância da presença feminina na população vinda de outros estados da Região Sul, havendo cerca de 10 mil mulheres a mais que homens.

Esses dados, referentes aos movimentos migratórios da população no Rio Grande do Sul, comprovam a tendência observada internacionalmente de que a migração feminina é rea-lizada para curtas distâncias.

A migração no Rio Grande do Sul

Compartilhe