A igualdade de gênero na educação do Brasil e do RS — 1992-05

A questão da igualdade de gênero na educação é uma das seis metas da Unesco para a melhoria do ensino no mundo, até 2015, as quais se encontram no documento Educação Para Todos (2000).

A razão entre mulheres e homens, nos níveis de ensino fundamental, médio e superior, era favorável às mulheres em 1992, tanto no RS como no Brasil. Se, no ensino fundamental, havia uma quase-igualdade de acesso à escola, era nos níveis médio e superior que a predominância feminina se fazia sentir, conforme atestam os dados da tabela.

Em 2005, havia uma maior proporção de homens no nível fundamental, evindenciada pela razão de 0,94 mulheres para cada homem no RS e de 0,95 no Brasil. As mulheres continuavam na dianteira, em relação aos homens, no ensino médio — em torno de 1,17 — e, em especial, no ensino superior, na razão de 1,23 para o RS e de 1,32 no Brasil, embora as razões tenham sofrido um decréscimo entre 1992 e 2005.

Esses dados sugerem que a educação formal no Brasil não constitui um obstáculo à conquista da igualdade de gênero, como propõe a Unesco, porque as mulheres superam os homens nos níveis superior e médio. Entretanto, apesar da participação educacional ser mais alta no grupo feminino, persiste, entre as mulheres, a discriminação no mundo do trabalho e da política.

A igualdade de gênero na educação do Brasil e do RS — 1992-05

Compartilhe