A expansão do crédito em 2007

O crédito bancário cresceu 27,3% em 2007, ou seja, uma expansão maior do que em 2006, quando aumentou 20,7%. A soma dos empréstimos (recursos livres mais direcionados) chegou a, aproximadamente, R$ 935 bilhões em dezembro desse ano, isto é, 34,8% do Produto Interno Bruto (PIB) do País, percentual muito próximo ao recorde registrado em 1995, no boom do crédito do Plano Real, quando chegou a 35,1% do PIB.

Em 2007, o segmento do crédito que mais avançou foi o de pessoas jurídicas, com um crescimento de 30,3%, bem acima dos 17,4% observados no ano anterior. As operações de pessoas físicas aumentaram 25,5% em 2007, numa ligeira aceleração em relação aos 23,6% ocorridos em 2006. Os empréstimos para empresas lideraram o mercado de crédito, pois, com a queda nas taxas de juros, os financiamentos bancários se tornaram mais competitivos frente às outras alternativas disponíveis, tais como captações internacionais e operações do BNDES.

Para 2008, as perspectivas são de um mercado de crédito menos aquecido, em função de fatores como a crise internacional, a expectativa de alta da taxa Selic (principalmente no segundo semestre deste ano) e o aumento das alíquotas do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os empréstimos bancários. Também neste ano, segundo a pesquisa de expectativas da Federação Brasileira dos Bancos (Febraban), deverá ocorrer uma inversão na composição do crédito, em relação a 2007, uma vez que o seu resultado aponta um aumento do crédito para pessoas físicas de 25,7% e do para pessoas jurídicas de 19,5%.

A expansão do crédito em 2007

Compartilhe